PÍLULAS DE CONHECIMENTO

O que é uma análise SWOT e qual é a sua importância?

por MEDIAÇÃO INTELIGENTE

24 January 2022    •  3 minutos de leitura

Independentemente da dimensão de uma empresa ou do sector em que opera, antes de tomar qualquer decisão estratégica, é necessário saber qual é a sua situação, tanto interna como externamente. Isto é feito utilizando o que é conhecido como Análise SWOT, que estuda os seus pontos fortes e fracos, bem como as ameaças e oportunidades em relação ao mercado no qual opera. Vamos explicar o que é uma análise SWOT e qual é a sua importância. 

O que é uma análise SWOT

A sigla SWOT significa os conceitos acima mencionados: Pontos fracos, Ameaças, Pontos fortes e Oportunidades. Trata-se, portanto, de uma análise que avalia a situação atual em que uma empresa se encontra com uma abordagem realista. 

Assim, esta matriz tem em conta, por um lado, os aspetos internos da organização, incluindo os seus pontos fracos e fortes como organização. Por outro lado, os fatores externos que também têm impacto sobre o seu funcionamento e a direção que pode ou deve tomar, tais como ameaças e oportunidades. Neste último ponto, é necessário incluir o mercado e a concorrência. 

Para tornar a visualização tão simples quanto possível e permitir a análise cruzada que será discutida posteriormente, é frequentemente utilizada uma matriz transversal. As fraquezas serão colocadas à esquerda e as ameaças à direita no topo.  E, no fundo, os pontos fortes e as oportunidades. 

A origem deste instrumento remonta aos Estados Unidos, onde começou a ser utilizado nos anos 70. Hoje em dia, esta análise é vista como um passo fundamental antes do desenvolvimento da estratégia empresarial de uma empresa. Para além de melhorar o posicionamento da organização, pode também conduzir a operações internas mais eficientes que podem aumentar a rentabilidade. 

Como realizar uma análise SWOT

Se soubermos o que é uma análise SWOT, podemos passar à forma como a devemos aplicar na nossa empresa. Antes de mais, a matriz é desenhada e os fatores internos, pontos fortes e fracos, são introduzidos após um estudo dos mesmos. Tratam-se, portanto, de aspetos positivos que fazem crescer a empresa, têm um bom posicionamento ou uma vantagem competitiva, e aspetos negativos, que são aqueles fatores que dificultam o desenvolvimento da empresa ou que podem ter um impacto negativo sobre a mesma. 

É necessário ter em conta os diferentes departamentos que compõem a empresa. Desta forma, será obtida uma visão global e completa, mas ao mesmo tempo adaptada à sua realidade. Por exemplo, algumas variáveis positivas ou pontos fortes podem ser a qualidade do produto ou serviço oferecido, experiência no sector, pessoal qualificado ou uma boa situação financeira. Como pontos fracos, poderíamos citar ter poucos recursos para reagir às mudanças, uma estratégia de comunicação online fraca ou uma adaptação deficiente às novas tecnologias. 

Dentro da análise externa, serão avaliados os elementos que são externos à empresa. Ou seja, que estão fora do seu controlo, mas que afetam a empresa de forma direta. Atualmente, a principal ameaça é a crise económica, sanitária e social em que nos encontramos, bem como a elevada concorrência. Isto pode levar a uma diminuição do consumo para cada agregado familiar, bem como a uma dificuldade em encontrar novos clientes. 

Por último, as oportunidades, que, ao contrário das ameaças, representam, como o nome sugere, uma oportunidade para crescer, aumentar as vendas ou penetrar num novo mercado. Variam de empresa para empresa, e o que é um perigo para uma empresa é uma porta aberta para outra. Por exemplo, mudanças nas prioridades dos consumidores, novos canais tecnológicos ou tendências em mudança. 

Como aplicar os resultados

Uma vez identificados todos os parâmetros, realiza-se o que é conhecido como análise cruzada. Neste ponto, trata-se de combinar alguns parâmetros com outros, para que os pontos fracos possam ser compensados através de oportunidades, os pontos fortes possam ser utilizados para superar ameaças ou tirar partido de oportunidades, e os pontos fracos possam ser reduzidos para que as ameaças também possam ser reduzidas. 

Quando as oportunidades se combinam com os pontos fortes, é possível aumentar as vantagens competitivas. Associar oportunidades com pontos fracos é um método para eliminar aquilo que impede o progresso da organização. Quanto à redução dos pontos fracos, trata-se de uma estratégia de sobrevivência num ambiente instável. 

A análise SWOT é uma técnica muito pouco eficaz, para que qualquer empresa, independentemente da sua experiência, a possa realizar. Apesar desta simplicidade, é muito útil para avaliar todas as situações a enfrentar e conceber estratégias em conformidade, tanto defensivamente como ofensivamente. 

Além disso, pode ser aplicada não só à empresa em geral, mas também a um departamento específico, a uma estratégia de vendas, a uma campanha de marketing, à escolha de um canal de promoção do produto ou à melhor forma de se relacionar com o público. Qualquer que seja o objetivo da sua pesquisa de mercado, a análise SWOT é uma fase obrigatória. 

 

Interessad@ na transformação digital do teu negócio? Contamos-te como o fazer

Ver mais

Temas chave

NOTAS

João Veiga, Country Manager da MPM Software em Portugal, foi escolhido como uma das 40…

Pelo segundo ano consecutivo, a revista ECOSEGUROS escolhe o nosso country manager em Portugal para estar presente no seu Yearbook…

19 September 2022

Ler mais

PÍLULAS DE CONHECIMENTO

Especialização na organização. Upskilling, reskilling e new skilling

A especialização na organização permite-nos ser competitivos. Conheça a upskilling, reskilling e new skilling

6 September 2022

Ler mais

PÍLULAS DE CONHECIMENTO

A comunicação em tempos de crise

A incerteza e a instabilidade económica  estão entre nós. Parece que por enquanto assim vão continuar. Hoje falamos sobre a…

26 July 2022

Ler mais