PÍLULAS DE CONHECIMENTO

Plataformas e aplicações de eHealth | O que são e para que servem?

por MEDIAÇÃO INTELIGENTE

26 July 2021    •  4 minutos de leitura

A transformação digital também chegou aos cuidados de saúde; as plataformas e aplicações eHealth revolucionam a comunicação entre profissionais e pacientes e abrem a porta para a interação para além das nossas fronteiras. Não só significam uma maior precisão no diagnóstico e tratamento, mas também uma atenção mais personalizada, tanto do sector da saúde como dos seguros. Vamos indicar-lhe quais são, assim como os seus benefícios e funcionalidades.

O que são aplicações de eHealth?

O conceito de eHealth tem crescido em popularidade nos últimos anos, pois é a aplicação da tecnologia ao sector da saúde. De acordo com a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), eHealth é definido como o uso de tecnologias de informação e comunicação de forma segura e económica em todos os campos relacionados com a saúde. Isto inclui cuidados médicos, vigilância, saúde, investigação e conhecimento.

O seu objetivo não é apenas melhorar os cuidados médicos oferecidos aos pacientes, mas também melhorar o serviço de uma forma geral. Desta forma, é possível satisfazer as necessidades dos cidadãos, fornecedores, profissionais e até mesmo dos decisores políticos.

Como o Journal of Medical Internet Research aponta, as aplicações eHealth vão para além dos serviços e informações relacionadas à saúde através da Internet. Além dos aspetos técnicos, é uma atitude de compromisso com o pensamento global no seio das redes, o que permite melhorar o atendimento médico desde o nível local até ao nível global.

Mas como é que a saúde digital funciona exatamente? Bem, como já indicamos, as aplicações eHealth são uma das principais apostas. No entanto, também se incluem wearables, videojogos relacionados com a saúde, sistemas médicos industriais, sistemas de informação e Big Data entre outros.

Através de todos eles conseguimos incluir as diferentes fases que afetam um paciente, tais como a gestão, a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e o acompanhamento. Abrangem-se também conceitos como a telemedicina, o atendimento personalizado ou monitorização digital; os quais não seriam possíveis sem a inclusão das novas tecnologias nos processos.

Quais são as vantagens das aplicações de eHealth?

Uma vez que as aplicações eHealth cobrem, como indicamos, diferentes fases dentro da gestão da saúde, as vantagens que oferecem afetam todos os utilizadores, tanto profissionais como pacientes, e múltiplas áreas. Vamos agora analisar mais de perto estas vantagens.

Personalização do sistema de saúde para o paciente

Ao se incluir uma maior quantidade de informação sobre cada paciente, bem como os seus hábitos e o seu estado de saúde de forma regular, permite uma personalização do serviço. Quanto mais conhecimento se tiver sobre cada um deles, mais fácil será fazer diagnósticos e tratamentos.

Prognóstico e acompanhamento em tempo real sem deslocações

Uma vez identificada a condição de um paciente ou este já se encontrar em tratamento, estas plataformas facilitam a monitorização em tempo real da sua condição. Como não é necessária a deslocação, os profissionais podem realizar a monitorização de uma forma mais frequente e com maior rapidez. Além disso, se for necessário, poderão intervir com maior eficácia.

Participação da cidadania na saúde

Como é a própria pessoa que se encarrega de introduzir as suas próprias informações de saúde (como alimentação, monitorização de sono e ritmo cardíaco ou intensidade do exercício físico) e a que as pode visualizar, esta torna-se então num participante direto.

Deste modo, e através da informação que as próprias aplicações eHealth oferecem, temos ao dispor ferramentas que o ajudam a tomar consciência da sua saúde e a modificar os seus hábitos para a melhorar. A interação com os profissionais também é aumentada.

Maior segurança em todo o processo de cuidados de saúde

Graças a estas aplicações, assim como ao uso de Big Data, favorece-se a deteção precoce de doenças e sua prevenção. São uma ferramenta chave para o pessoal de saúde, com indicadores melhores e mais eficazes da evolução da saúde, bem como dos tratamentos. Por outro lado, agilizam também o processo de investigação.

Integração de vários países para contribuir para o intercâmbio de informações

Sabemos que as tecnologias de informação e comunicação melhoram a conectividade entre as pessoas. Graças à sua aplicação na área da saúde, estas permitem a produção de conhecimentos e pesquisas não só a nível local ou regional, como também a troca de informações além fronteiras. Isto torna possível a divulgação das melhores práticas.

Problemáticas relativas à eHealth

Ninguém tem dúvidas sobre as vantagens que a transformação digital tem trazido, tanto do ponto de vista pessoal como profissional. Não só nos relacionamos e comunicamos mais rápida e diretamente a nível pessoal e profissional, como também conseguimos aumentar a produtividade, a eficiência e a satisfação geral como consumidores.

No entanto, também sabemos que a tecnologia e o uso da Internet trazem consigo uma série de inconvenientes. Para além das limitações a nível do utilizador, o principal problema reside na necessidade de existência de um quadro legislativo próprio. Com isto, os cidadãos poderão exercer os seus direitos de acesso aos seus dados de saúde, bem como fazer uso de tecnologias que sejam seguras e fiáveis.

segurança informática é também um desafio para este sector, uma vez que os riscos estão a aumentar e é necessária a prevenção, bem como a aplicação de recursos para proteger a informação que aí seja incluída. Mas para além das preocupações de segurança do ponto de vista da proteção de dados, existe também resistência à mudança e desconfiança tanto por parte dos cidadãos como dos profissionais.

Aplicação no sector dos seguros

As funcionalidades das aplicações eHealth são muito amplas e vão desde a possibilidade de marcar consultas online ou localizar médicos, até à avaliação de consultas, acesso a relatórios médicos e bibliotecas de conselhos e jogos sobre a saúde, ou a gestão de apólices de seguros. É por isso que as seguradoras também fazem uso delas para oferecer uma cobertura personalizada aos seus clientes.

Um exemplo disso é o Salud-e um consultor comercial de saúde que a MPM Software lançou. Com ele, o mediador terá informações sobre cobertura, copagamentos e as quadros médicos de 12 empresas. Graças a isso e aos menus organizados e intuitivos, será capaz de fazer comparações entre as suas características e resolver as dúvidas dos clientes rapidamente.

Mais uma vez, a experiência do cliente e o serviço personalizado tornam a abrir caminho através da tecnologia. Dois objetivos prioritários que já não podem ser ignorados, pois representam a base para as relações presentes e futuras em qualquer setor.

 

Interessad@ na transformação digital do teu negócio? Contamos-te como o fazer

Ver mais

Temas chave

PÍLULAS DE CONHECIMENTO

Gestão de crise nos mediadores de seguros (I): Como lidar com o cliente de hoje?

Se tivéssemos de escolher uma palavra para descrever este ano, 2021, e o 2020, seria a incerteza. A forma como…

13 October 2021

Ler mais

PÍLULAS DE CONHECIMENTO

Como vender em tempos de Covid. Escritório físico ou Escritório digital.

Mais de um ano e meio desde o início da pandemia, ainda hoje não recuperámos a tão almejada normalidade. E…

22 September 2021

Ler mais

PÍLULAS DE CONHECIMENTO

A motivação da equipa de vendas em tempos de Covid

Os tempos de crise tendem a ser, para muitas empresas, um motor de mudança. No entanto, saber adaptar-se e encontrar…

30 August 2021

Ler mais